segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Aula 23 - O Setor Primário - A Agricultura

O Setor Primário

Como já foi dito anteriormente, o setor primário, ou o 1º setor da economia, é o setor de produção ou extração de matéria-prima, neste setor estão envolvidos toda a agricultura, pecuária, caça, pesca, e extração mineral ou vegetal.
A produção ou extração massiva de matéria prima está associada aos países em desenvolvimento ou os países subdesenvolvidos e a maioria de suas exportações, ao contrário dos produtos industrializados, significa um grande volume de mercadoria por uma pequena margem de lucro.

Veremos adiante os conceitos, aplicações e exemplos dos ramos deste setor.

Agricultura

Agricultura é todo e qualquer cultivo da terra, seja para o fim da produção de alimentos, de matéria prima ou estético. A horta onde se planta alface é um exemplo de agricultura, a fazenda onde se planta cana, também é um exemplo de agricultura, e aquele grande vaso onde cresce uma samambaia em sua casa, também é um exemplo de agricultura.

As terras envolvidas na agricultura podem ser trabalhadas de diversas formas, dentre as quais podemos citar:

Agricultura extensiva – É todo o sistema agrário que utiliza grandes áreas para que se torne possível a viabilidade de sua produção, está associada à devastação de grandes áreas verdes.

Plantation – É um sistema que utiliza de áreas muito extensas para a produção de um único produto, o que chamamos de monocultura. Neste sistema utiliza de técnicas simples de plantação, utiliza de mão-de-obra não qualificada, mal remunerada e muitas vezes escrava.
A monocultura na maioria das vezes é utilizada para a produção de produtos para a exportação. O Brasil possui grandes áreas de plantation destinadas à produção de cana e cada vez mais, soja. Muitos países da áfrica, como a Uganda, possuem plantation voltada à produção de cacau.
As plantations a longo prazo inutilizam o solo. É um sistema precário utilizado em países subdesenvolvidos.

Agricultura intensiva, Agro-indústria, ou Agrobussiness – É um modo de agricultura aplicável a qualquer extensão territorial, associado principalmente a grandes investimentos. Este tipo de produção agrária consiste no uso de tecnologias e maquinas para que seja retirada da terra a maior produção possível. Nela é utilizada pouquíssima mão-de-obra, necessariamente especializada. Países como os Estados Unidos, cada vez mais substituem as técnicas artesanais de agricultura pelas maquinarias, o que vem causando um novo êxodo rural.

Agricultura de Jardinagem – Muito comum em países asiáticos é um sistema que utiliza pequenas áreas de terras. Utiliza-se comumente o sistema familiar de trabalho, é necessário um número elevado de mão-de-obra para este cultivo. Nele é dedicada extrema atenção para cada muda a fim de preservá-la e obter o maior aproveitamento. Diferente da Agro-indústria, a jardinagem ao invés de utilizar auxílios mecânicos, aumenta a produção com o aumento de atenção humana. Este sistema é muito utilizado na produção de grãos como o arroz e hortaliças.

Agricultura orgânica - É um sistema aplicável a qualquer extensão territorial, amplamente associado a auto-sustentabilidade. Neste método de agricultura, a adubação e o combate às ervas daninhas são feitos sem a utilização de produtos químicos, ou seja, com adubos naturais e a extração manual do excesso de ervas daninhas. Em países como os da União Européia, Estados Unidos e Austrália, existem incentivos e regulamentações para este método de produção.



A Agricultura e o Mundo

Nos Estados Unidos, existem incentivos para que os produtores de determinadas áreas produzam alguns produtos específicos, o que levou à formação dos grandes cinturões (belts). Dentre estes cinturões, podemos citar o corn belt e o fruit belt, são respectivamente os cinturões dos grãos e das frutas. Este sistema de incentivo possibilitou aos Estados Unidos ocupar os primeiros lugares na produção de laranjas, limões, trigo e soja.
A China mobiliza 45% de sua população para a agricultura, o que não é de se espantar, já que abriga 20% da população mundial. Resultado disso é a enorme produção em diversos ramos. Atualmente a produção da china é dividida entre a agricultura de jardinagem, familiar e a agricultura intensiva que cada vez mais recebe novas tecnologias neste país. A China é um dos maiores produtores mundiais de produtos como trigo, milho, tabaco, soja, amendoim, algodão, batata, sorgo, chá, milhete, cevada, óleo vegetal, apesar de sua área cultivável ser 5% menor que a dos Estados Unidos.
Sobre a União Européia, é importante que saibamos sobre a Política Agrícola Comum, este sistema permite que uma comissão da União Européia defina os incentivos de produção agrícola em toda a região da UE, fazendo com que cada vez mais ela necessite menos da importação de alimentos.

Agricultura no Brasil.

A agricultura promovida no Brasil é parte significativa da economia nacional, entretanto, isto não significa que, necessariamente, ela seja moderna. A agricultura brasileira é essencialmente extensiva e pouco mecanizada, encontramos diversas plantations e inclusive, anualmente, são encontrados e libertados pela polícia, perto de mil trabalhadores rurais em regime de escravidão.
Os destaques da produção agrária brasileira são o milho, a cana-de-açucar, o café, a soja, a laranja e o arroz.

Estrutura fundiária brasileira – As propriedades rurais brasileiras são dividias em quatro instancias: Minifundio; Pequena Propriedade; Média Propriedade e; Latifundio. Sendo que há, como já vimos, o predomínio dos latifúndios.
As relações agrárias de trabalho são identificadas pelas seguintes relações:
Proprietário: Dono de terras agrárias que no entanto não as cultiva diretamente
Fazendeiro: Dono de terras agrárias que as cultiva contratando bóias-frias ou aliciando peões.
Bóia-Fria: É o trabalhador temporário. Desloca-se para o campo nas temporadas de plantio ou colheita nas terras de um fazendeiro
Posseiro: É aquele que toma posse de um pedaço de terra para cultivo familiar
Grileiro: São aqueles que falsificam títulos de terra e vendem
Parceiro: Firmam acordo com o proprietário que os cede sua terra em troca de metade (meeiros) ou um terço (terceiros) da produção resultante.
Arrendatário: Firmam um acordo de aluguel com o proprietário
Peões: Trabalhadores do campo que se vêm impossibilitados de abandonar a fazenda onde trabalham sem remuneração.

Os problemas ambientais.

A utilização irresponsável do solo pela agricultura faz com que este, a longo prazo, torne-se infértil, chegando por vezes a desertificação, ou seja, sua superfície sem nutrientes torna-se totalmente estéril pela ausência de nutrientes. Pode ocorrer também, devido às chuvas que atingem diretamente o solo, livre de sua camada de vegetação natural, a laterização, que consiste no aumento da porcentagem de alumínio e ferro, iniciando a perda de nutrientes, outra conseqüência é a salinização, o aumento da porcentagem de sal.
Isto sem falar no desmatamento e nas queimadas.
A capacidade de destruir é sempre maior que a capacidade de construir, e seguimos destruindo sem pensar que a natureza sempre reivindica.

PS - Como o prometido, imagens e informações novas. Salam.

3 comentários:

Fernando H. Bazalha Oliveira disse...

Quando disse que o Blog estava "um pouco adiantado em relação às aulas", imaginei mesmo que fosse pouco, mas tá muito na nossa frente hein rsrs. Bem como notei em alguns comentários, seus textos são muito claros e você expõe de forma simples toda a idéia que quer nos transmitir. Continue nessa pegada. Não conheci 100% do blog ainda, mas de pouco em pouco vou desvendando os novos e antigos caminhos. Abraços.

Anônimo disse...

Gostei mto das suas aulas, muito bem elaboradas e sintetizadas. Parabéns.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk me ajudou pouco