sábado, 31 de julho de 2010

Aula 22 - O Trabalho e o Homem - Divisão do Trabalho - Setores da economia

O Trabalho e o Homem:
Tormento - Obra de Cátia de Rodrigues

O homem trabalha para viver ou vive para trabalhar? Somos seres pensantes, individuais, exclusivos, ou apenas pecinhas na engrenagem da economia? Somos homens e mulheres com nomes e personalidades ou números do Registro Geral, estatísticas ambulantes? A educação escolar nos liberta ou nos prende? Nos ensina a fugir ou nos cobre com um véu de ilusões? Somos o que queremos ser? Somos o que podemos ser? Somos o que querem que sejamos? Somos o que podem fazer de nós? Vivemos a nossa vontade ou a mercê das novas vontades estipuladas pelo mercado? O que nosso trabalho significa para nós mesmos? Eu faço o que gosto? Por que eu faço? Do que eu gosto? Qual é o meu limite? Qual é o limite?
Se somos controlados, onde está quem nos controla? E se não somos, por que desejamos tanto e conquistamos tão pouco?

A divisão do trabalho:

Uma das conseqüências do mundo do capital é a divisão do trabalho. A incrível ramificação do trabalho no mundo atual faz com que todo o trabalho seja especializado, principalmente quando se fala do trabalho industrial, e quando falamos em industria, podemos inclusive nos referir a industria agrária. Para utilizar um exemplo próximo de nós, na industria calçadista por exemplo, qual o operário que realiza diariamente todas as etapas da produção de seu produto? Geralmente falamos do pespontador, do chanfrador, do colador, do cortador e etc...
Segundo a definição da Wikipédia, “dá-se o nome de divisão do trabalho à especialização de funções que permite a cada pessoa criar, usar e acentuar, com máxima vantagem, qualquer diferença peculiar em aptidões e recursos”.
Mas esta definição não nos informa que se nascemos em Franca devemos ter aptidão para trabalhar na indústria calçadista, ou que se nascemos no ABC paulista, devemos ter aptidão para trabalhar na indústria automobilística e assim por diante.
Faz parte da divisão do trabalho todas as ramificações do processo de produção e consumo. Desde todos os setores da busca ou produção de matéria-prima, transporte às indústrias, ramificação de atividades em sua produção, distribuição e venda.

A divisão internacional do trabalho (DIT):

Devido ao processo histórico, existem países em alto estágio de desenvolvimento industrial, e países que mal iniciaram suas produções industriais. A globalização faz com que estes países estejam em contato direto.
A divisão internacional do trabalho consiste na produção e exportação de matérias-primas ou bens de consumo por parte dos países com baixo poderio econômico e industrial e da exportação de tecnologias e produtos da industria de ponta por parte dos países com grande fluxo de capital.
A divisão internacional torna-se cada vez mais complexa devido à existência de países emergentes e países em industrialização, no entanto, suas bases permanecem as mesmas.

Os setores da economia

Assim como a produção está dividida em à partir da divisão do trabalho, a economia também o está. Podemos três setores tradicionais da economia e um quarto setor que a partir da década de 80 do século passado vêm atrelado de maneira indissociável os outros setores em si, além destes quatro setores formais da economia, falaremos também de um 5º setor, informal, e inclusive, ilegal.

1º Setor – É o setor de produção ou extração de matéria-prima, faz parte deste setor toda a agricultura, pecuária, caça, pesca, e extração mineral ou vegetal.

2º Setor – É o setor de faturamento da matéria-prima em produto industrializado. Todos os segmentos da transformação do produto bruto em produto acabado dizem respeito à este setor, faz parte deste setor toda industria pesada, industria de ponta e industria de bens de consumo.
3º Setor – É o setor da distribuição dos produtos industrializados de matéria prima. Uma feira de rua, por exemplo, diz respeito ao terceiro setor tanto quanto um shopping Center ou um vendedor ambulante.

Bovespa - Especulação gerando capital
Lógica Financeira – Setor da economia que evolve cada vez um número maior de pessoas, independe de um produto ou de uma matéria prima, é a capacidade de se criar capital à partir do próprio capital. As bolsas de valores os bancos e as agencias de financiamento fazem parte deste setor. Muitas vezes os valores negociados nestas transações não existem fisicamente, ou seja, é moeda fictícia, os valores registrados em números não existem em moeda corrente.

Pirataria - Crime ou Democracia?
5º Setor – A pirataria, que acompanha paralelamente o segundo e o terceiro setores da economia, é a produção e distribuição de materiais similares a produtos legalizados de empresas conhecidas, burlando direitos e registros, copiando logomarcas e produtos, a pirataria permite que uma parcela cada vez maior da população tenha acesso a produtos que pelo valor de mercado dificilmente seriam adquiridos.

2 comentários:

Jazz disse...

Parabéns, Evandro! Seu blog está cada vez melhor. A maneira como você aborda os temas, saindo do padrão dos livros didáticos, possibilita que os leitores possam refletir sobre o assunto, e não apenas absover informações. Parabéns pela iniciativa de criar esse blog, espero que você o mantenha!

leonardo disse...

Ei Buriti, super blog muito louco, gostei mesmo parabéns!!!!!
Leonardo Taveira(cursinho Unesp Sala 1)